31.12.08

um pensamento para 2009.

"fico admirado quando alguém, por acaso e quase sempre
sem motivo, me diz que não sabe o que é o amor.
eu sei exactamente o que é o amor. O amor é saber
que existe uma parte de nós que deixou de nos pertencer.
o amor é saber que vamos perdoar tudo a essa parte
de nós que não é nossa. o amor é sermos fracos.
o amor é ter medo e querer morrer."



José Luís Peixoto

4.12.08

Eu devo.

...

- Eu devo rasgar minha face para que a tua

se encha de um minuto sobrenatural,

devo murmurar cada coisa do mundo

até que sejas o incêndio da minha voz.


...


Herberto Helder, O Amor em visita


30.11.08

Por causa de um desafio...

Aceitei!
Aqui ficam as respostas que, quebrando algumas regras, fui buscar... ainda não sei bem onde...



1. És homem ou mulher? Hunter, Björk

2. Descreve-te: Cantus in Memory of Benjamin Britten, Arvo Pärt

3. O que as pessoas acham de ti? Human behavior, Björk

4. Como descreves o teu último (antes do actual) relacionamento? Man is the Baby, Antony & The Johnsons

5. Descreve o estado actual da tua relação amorosa: Pagan Poetry, Björk

6. Onde querias estar agora? The Anchor Song, Björk

7. O que pensas a respeito do amor? Por toda a minha vida, Elis Regina

8. Como é a tua vida? Caught a Lite Sneeze, Tori Amos

9. O que pedirias se pudesses ter só um desejo? La Folie, The Gift

10. Escreve uma frase sábia: The Heart Asks Pleasure First, Michael Nyman




Obrigado C., por esta viagem.

_*

23.11.08

(uma questão de) Ângulo



...
Por sobre o que Eu não sou há grandes pontes

Que um Outro, só metade, quer passar
Em miragens de falsos horizontes -
Um outro que eu não posso acorrentar...

(Barcelona, Setembro de 1914)

Mário de Sá-Carneiro


15.11.08

Ma(i)s feliz


O nosso amor não vai parar de rolar

De fugir e seguir como um rio
Como uma pedra que divide um rio
Me diga coisas bonitas

O nosso amor não vai olhar para trás

Desencantar, nem ser tema de livro

A vida inteira eu quis um verso simples
P'ra transformar o que eu digo

Rimas fáceis, calafrios
Fure o dedo, faz um pacto comigo
Num segundo teu no meu

Por um segundo mais feliz


Adriana Calcanhoto

9.11.08

Enquanto há Vida...

Let yourself be beautifulLet yourself be beautifulLet yourself be beautifulLet yourself be beautifulLet yourself be beautifulLet yourself be beautifulLet yourself be beautifulLet yourself be beautifulLet yourself be beautifulLet yourself be beautifulLet yourself be beautifulLet yourself be beautifulLet yourself be beautifulLet yourself be beautifulLet yourself be beautifulLet yourself be beautifulLet yourself be beautifulLet yourself be beautiful
Let yourself be beautiful

4.11.08

Sacrifice


Sacrifice, Lisa Gerrard//Medea, Lars Von Trier



Um exercício de inspiração. Um sacrifício.

28.10.08

Um mês de Batalha

... de volta ao palco...




Efeitos secundários

Feels like fire*

24.10.08

Hoje. Depois de mim...


Regina Spektor, Aprés Moi


...
Para o Fim desta noite...

Aprés moi, le deluge...

...i must go on standing...

23.10.08

Uma questão.

«Amei-te como nunca amei ninguém.»




Merda.
Será que nunca amei ninguém antes de ti?

17.10.08

Azul



Pusemos tanto azul nessa distância
ancorada em incerta claridade
e ficamos nas paredes do vento
a escorrer para tudo o que ele invade.

Pusemos tantas flores nas horas breves
que secam folhas nas árvores dos dedos.
E ficámos cingidos nas estátuas
a morder-nos na
carne dum segredo.


Natália Correia




13.10.08

Mentir


(...) Mentir ce n'est pas seulement dire ce qui n'est pas. C'est aussi, c'est surtout dire plus que ce qui est et, en ce qui concerne le cœur humain, dire plus qu'on ne sent. C'est ce que nous faisons tous, tous les jours, pour simplifier la vie.(...) Albert Camus

9.10.08

Extinguia-se



Extinguia-se o perfume dos vermelhos nenúfares.
O ar leve do Outono penetrava através das pérolas de jade da cortina.
Quem me mandava essas mensagens de amor, desde as nuvens,
na barca das orquídeas, ao resplendor das tochas?
É a estação em que voltam os cisnes bravos
e o luar inunda o pavilhão do oeste.
As flores - é a sua sina - revoluteiam e espalham-se.
A água segue ao seu destino correndo a concentrar-se num mesmo lugar.
Os seres da mesma espécie convergem num mesmo sonho.
Mas nós, ai!, estamos separados, e eis-me aqui, solitária, já em excesso acomodada à tristeza.
Nada será bastante para destruir este amor.
Por um momento deteve-se nos meus olhos; mas agora gravita já no meu coração.


Li Ts'Ing Chao

25.9.08

Habeas corpus



Hoje quero o teu corpo, mais nada.

Preciso que a tua língua lavre a minha pele.

Hoje preciso que me ames para além das palavras.

(As palavras não têm o teu cheiro. Não escorrem suor.

E só às vezes aquecem por dentro.)

Vem. Caminha como se eu fosse uma duna.

Hoje eu sou o amor inteiro em chamas.

O centro do desassossego do fundo do mar.

Despedaça-me. Para que quero eu um só coração?

Não preciso de um par de mãos vazias

Nem de dois pés que não me defendem da vertigem do voo.

Hoje quero o teu corpo. Contra o meu corpo. Força bruta.

Preciso dessa constrição como desculpa para o movimento de crescer. Hoje.






Frederico M.


20.9.08

Era Uma Vez Um Homem Que Se Enforcou Numa Estrela.








...

A luz salta às golfadas.

A terra é alta.

Tu és o nó de sangue que me sufoca.

...

E como estrelas duplas

consanguíneas, luzimos de um para o outro

nas trevas.



Herberto Helder