28.10.08

Um mês de Batalha

... de volta ao palco...




Efeitos secundários

Feels like fire*

24.10.08

Hoje. Depois de mim...


Regina Spektor, Aprés Moi


...
Para o Fim desta noite...

Aprés moi, le deluge...

...i must go on standing...

23.10.08

Uma questão.

«Amei-te como nunca amei ninguém.»




Merda.
Será que nunca amei ninguém antes de ti?

17.10.08

Azul



Pusemos tanto azul nessa distância
ancorada em incerta claridade
e ficamos nas paredes do vento
a escorrer para tudo o que ele invade.

Pusemos tantas flores nas horas breves
que secam folhas nas árvores dos dedos.
E ficámos cingidos nas estátuas
a morder-nos na
carne dum segredo.


Natália Correia




13.10.08

Mentir


(...) Mentir ce n'est pas seulement dire ce qui n'est pas. C'est aussi, c'est surtout dire plus que ce qui est et, en ce qui concerne le cœur humain, dire plus qu'on ne sent. C'est ce que nous faisons tous, tous les jours, pour simplifier la vie.(...) Albert Camus

9.10.08

Extinguia-se



Extinguia-se o perfume dos vermelhos nenúfares.
O ar leve do Outono penetrava através das pérolas de jade da cortina.
Quem me mandava essas mensagens de amor, desde as nuvens,
na barca das orquídeas, ao resplendor das tochas?
É a estação em que voltam os cisnes bravos
e o luar inunda o pavilhão do oeste.
As flores - é a sua sina - revoluteiam e espalham-se.
A água segue ao seu destino correndo a concentrar-se num mesmo lugar.
Os seres da mesma espécie convergem num mesmo sonho.
Mas nós, ai!, estamos separados, e eis-me aqui, solitária, já em excesso acomodada à tristeza.
Nada será bastante para destruir este amor.
Por um momento deteve-se nos meus olhos; mas agora gravita já no meu coração.


Li Ts'Ing Chao